Uncategorized

Taxação no agronegócio: decisão é inconstitucional

Published by
Taxação no agronegócio. Photo by Jack Bain

Recente decisão referente ao aumento da taxação nas exportações do agronegócio gerou grande polêmica. Confira já tudo sobre!

O agronegócio é um setor vital para a economia brasileira, tendo somado, apenas em 2022, um total de US$ 159,09 bilhões em suas exportações. Em vista de um índice volumétrico considerável, muito se debate sobre o valor de taxação a ser aplicado no agronegócio. Aliás, o que gerou, recentemente, mais uma polêmica no estado de Tocantins à cerca da suspensão obtida pela Associação Brasileira dos Produtores de Soja e Milho quanto ao aumento das taxas sobre exportações e saída de produtos, alegando a inconstitucionalidade do ato.

ICMS

Então, em sua lei estadual nº 3.617/19, era constatado aos contribuintes que promovem operações de saída e exportação de produtos de origem vegetal vinculados ao Fundo Estadual de Transporte (FET), o recolhimento de um percentual sobre o valor da operação destacada no documento fiscal. O fundo, que não guarda qualquer relação com a utilização de estradas ou rodovias, estabelecia uma alíquota em 0,2% nessas operações. Assim, a qual passaria, de acordo com a proposta, para o valor de 1,2% sobre hipótese que já estava prevista para o ICMS. Ademais, dando à cobrança o caráter compulsório típico de tributos.

Como justificativa, o próprio Estado de Tocantins defendeu que a cobrança tem natureza de preço público (pedágio) para que fosse instaurada em todas as operações de saída ou exportação de produtos de origem vegetal, mineral ou animal regionais. Contudo, a decisão apresenta um forte caráter tributário e se caracteriza como um fato gerador idêntico ao utilizado pelo ICMS. Além disso, também possui todos os requisitos de um tributo que, dessa forma, o determina como um ato inconstitucional. Então, levando em consideração que a contribuição ao FET se trata de um imposto não previsto na Constituição Federal com indevida vinculação dos recursos arrecadados.

Não é a primeira vez

Mesmo incoerente, essa não foi uma decisão nova. Outros estados já instituíram contribuições similares para fundos semelhantes ao FET. Porém, não possuíam a obrigatoriedade de recolhimento, o que as afastava do conceito de tributo de modo a não configurar ilegalidade nas cobranças efetuadas.

Portanto, o aumento do valor estabelecido pelo estado do Tocantins em sua alíquota sobre operações que destinam as mercadorias ao exterior também pode ser entendido como uma determinação inconstitucional. Afinal, uma vez que a Constituição Federal proíbe expressamente a incidência de imposto estadual em situações deste tipo. Em meio a tamanhas incoerências, seus reflexos afetam não apenas os próprios produtores, mas consequentemente o preço final sustentado pelo consumidor e, inevitavelmente, a economia nacional em sua abrangência.

Related Post

Parecer Favorável

Assim, as polêmicas frente a esses desdobramentos levaram a Associação Brasileira dos Produtores de Soja à proposição de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade perante o Supremo Tribunal Federal, além de ter feito com que a Procuradoria Geral da República emitisse um parecer favorável aos contribuintes opinando pela inconstitucionalidade da cobrança realizada pelo fundo. Contudo, ação ainda não foi julgada.

Apesar de ainda não haver uma resposta definitiva, é fato que a contribuição obrigatória ao Fundo Estadual de Transporte criado pelo Estado do Tocantins é ilegal, uma vez que se trata de um adicional ao ICMS que pode levar o contribuinte a buscar judicialmente a restituição dos valores já pagos e a desoneração dos pagamentos futuros. Assim, esse é um tema que ainda precisa ser revisto, buscando uma decisão que não prejudique os profissionais deste setor e suas operações em meio a um segmento tão essencial para a manutenção e crescimento da economia brasileira.

Bruno de Araújo Soares é advogado tributário do escritório Marcos Martins Advogados.

Bruno Soares, advogado tributário do escritório Marcos Martins Advogados. Foto: Divulgação

Marcos Martins Advogados

Fundado em 1983, o escritório Marcos Martins Advogados é altamente conceituado nas áreas de Direito Societário, Tributário, Trabalhista e Empresarial. Pautado em valores como o comprometimento, ética, integridade, transparência, responsabilidade e constante especialização e aperfeiçoamento de seus profissionais, o escritório se posiciona como um verdadeiro parceiro de seus clientes. Ademais, confira sobre em https://www.marcosmartins.adv.br.

Gostou de “Taxação no agronegócio: decisão é inconstitucional”?

Então, leia mais em Notícias.

  • Recent Posts

    Qual o Futuro Tecnológico do Agronegócio?

    Diante de crescimento financeiro do Ramo Agropecuário, as cooperativas baianas se preparam e estão de… Leia Mais

    03/03/2024

    Agrotech: startups trazem tecnologia e inovação para o agronegócio

    Agrotechs: O cenário das agrotechs ocupa o terceiro lugar (11,8%) entre os segmentos mais comuns… Leia Mais

    03/03/2024

    Árabes e Brasileiros: Diferenças e Semelhanças quando o assunto é o café

    Semana Internacional do Café teve demonstração do preparo à moda das aldeias árabes em programação… Leia Mais

    03/03/2024

    O que é Café Arábica?

    O que é Café Arábica? Você já deve ter ouvido falar neste nome, correto? Afinal,… Leia Mais

    03/03/2024

    Café orgânico vs café convencional: a diferença é real

    Você sabe a diferença? Entenda as diferenças de produção, sabor e impacto ambiental entre o… Leia Mais

    03/03/2024

    6 Estratégias de marketing internacional de empresas agrícolas

    6 Estratégias de marketing internacional de empresas agrícolas: Confira estas dicas de Ricardo Martins, especialista… Leia Mais

    15/02/2024

    Este site possui cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com a utilização.

    Leia Mais